28 setembro, 2012

♪ ♫


Já não sei mais nada, já não sei mais nada
Se estaremos juntos até o fim do mundo
Eu não sei se sou para você, se você é para mim
O amor que amamos sonhando... 



Essa vida é como um livro: cada página é um dia vivido
Que não podemos escrever e apagar
Essa noite eu preciso, eu preciso tanto te beijar...


Me embriaguei, resta-me a ressaca... e.

Val Vince...

Solidificar-me'


Mas não se esqueça: Assim como não se deve misturar bebidas, misturar pessoas também pode dar ressaca.

(Martha Medeiros)



Momento em que busco solidificar-me, em que não desejo construir mais nada  sobre pilares de areia, quero base, sustentabilidade nas ações, nos sentimentos, quero verdade, de dúvidas e ascos o mundo esta cheio, ai me interrogo; - eu sou o problema?
Creio que sim, talvez haja sentimentos só aqui, burro eles,mas fazer o que? 
Resta-me abrir os olhos e seguir, e não mais abrir portas, quem sabe tudo isso ainda não valha a pena lá na frente? Quem sabe haverá alguém ou algo que conseguirá reestruturar-me a ponto de fazer com eu creia que tudo vale a pena, novamente...
Hoje estou confusa, comigo, com os poréns, com a falta de...
Vontade de uma dose de mim, mas beber-me não seria interessante, provar-me hoje, também seria indigesto.
Que coisa...
Me aqueça Frio... Lua Brilhe absoluta e anestesie-me, só por hoje.

Val Vince...

Alem de Anjo'' Não, não pode'

Vem comigo? Segura a minha mão?
- Vai me levar onde?
Confia em mim? Se sim, deixe me te guiar.
- Vamos...

É isso o que acontece quando realmente acreditamos em algo, a inocência,  o amor, a transparência de um sentimento que exala, que crê, nós simplesmente vamos, não há interrogações, mesmo que hajam medos... 
É isso o que acontece quando pedem nossa mão para caminhar a beira do abismo, de olhos fechados, sim, é exatamente isso o que acontece. Porém, quando tentam matar seus sonhos, e aniquilam sua confiança vezes e vezes, o que resta? Ainda acreditar? 
Medos, medos estes que não te impedem de tentar de novo, de acreditar no que sente, e no que dizem a ti, mas, isso depende de uma conduta ímpar, de um reconquistar único, e ai meu caro, é que mora o perigo.
Um coração partido, é só um coração partido, agora uma alma magoada, enganada, e que cai de joelhos a chorar, ai sim, neste momento, é que a dificuldade entra em cena, que as aflições impedem os pés de saírem do lugar, inerte fica ali, revendo, foi tão recente a queda novamente, foi tão recente que olharam em teus olhos e disseram; - vem, não vou mais te magoar, não faria isso de novo, não mesmo, acredite em mim.
E ali, aquela alma ainda de joelhos não sabe o que fazer, e ainda não a compreendem, enfim, quem não compreende o porque faz tamanha atrocidade, como há de compreender a dor daquela alma ali ajoelhada, talvez se colocando no lugar dela, ou não, seria demais, seria muito, talvez assim? Agora julgar e julgar, e apontar, não fará com que ela respire...
Se não consegues suportar o que fez e refez, não é  justo cobrar o que não tem a dar.

Levanta-te, darei a ti muletas novamente, e fé, para que continue a acreditar que o melhor lhe aconteça.
Não se interrogue, não tema, conhece o teu valor, conhece o teu caminho, não te puna, pena terás daqueles que não te enxergaram, olhe a diante, você é o teu condutor, conduza-te, ande, quem sabe não te surpreenda, com algo que valha a pena, além de defesas injustas e consciências que dizem sentir dor, dor?
Coragem é muito mais do que palavras em movimento, o amor é a força, e não a covardia e a dúvida.


Roubar o seu mais lindo anel, não foi o suficiente...


Val Vince...


Torpe'


Estou meio torpe... 

Equilibrando o meu desequilíbrio e balançando meu trapézio... 
Mas estou bem. 
Sim eu estou bem! 


Val vince...

Macieira'

Mais um dele, primo lindo do meu ...


Faz de conta que eu sou uma macieira!
Desde que nasci, meu sonho era ver brotar de mim uma maçã. 
Conforme o tempo foi passando, eu olhava e sonhava todo dia, com o momento em que apontaria em um dos meus galhos, o fruto meu.
E ele apareceu! E eu o amei TANTO.
Um dia, sem que eu pudesse intervir, vieram e apanharam-o de mim.

Chorei dias e noites, não queria mais viver.
Como puderam fazer isso comigo? Com que direito tiraram tudo que eu tinha?
Eu sofri tanto.
Com o tempo, vi crescer outras maçãs em mim! E meu medo era tamanho, de perdê-las, que não as amei. Mas eram tão lindas, e tão perfumadas. Vinham sempre tão enfeitadas com flores formosas.
O tempo passava, e por mais que eu relutasse, era impossível não me afeiçoar.
Até que elas caiam de mim. Assim, naturalmente.
E foi indo, uma a uma. De onde elas caíam, logo floria e brotava um novo amor.
Até que o sofrimento passou.
Entendi que a fruta outrora apanhada, também partiria. Assim como as que vieram em teu lugar, e as que vieram no lugar destas.

A lógica da vida é aprender a poupar sofrimentos - nunca poupar amor! 
Aceitar que sempre haverão partidas. Assim como chegadas. 
O vazio que fica quando alguém se vai, é exatamente o espaço necessário pra alguém nascer, de-novo, dentro de ti.

Ame tudo que vem de você!
Pois tudo que foi seu, também vai com amor, a hora que for.


Jogar'


Amar de verdade...

se for a dois, só dois... 


(Cazuza)



Quem não consegue desejar a Felicidade de alguém por suas escolhas, não pode chamar o que sente de Amor...
Amor quer o bem, quer o melhor, mesmo que este melhor não nos seja a melhor opção, mesmo que não façamos parte deste contexto...
O amor, este sentimento único ao qual o mundo esta necessitado, deseja apenas o bem, sem olhar a quem...
Ele respira Verdade e liberta sensações únicas...
Egoísmo n
ão cabe ali...
Amor e egoísmo são opostos, e não, não se atraem...

Quer jogar com a vida? Com os Destinos? Com o amor? Com as pessoas? Com sentimentos?
Não, eu não quero...
Eu quero muito mais, mais de mim, mais de nós, mais do 'mais'... Mais do 'melhor', mais da 'Paz', mais e 'mais'.
O salto mais alto, o sorriso mais intenso, os sentimentos mais puros...
E se houver a queda... 

Ah se houver a queda, que ao menos desta vez o impacto seja fatal...
E que sigamos sem olhar para trás...

Chove lá fora, chove aqui dentro, deixa chover, deixa molhar, deixa lavar, deixa levar...

Val Vince...



Prisão '

Madrugada... quente...
Eis que aqui me encontro de frente... De frente comigo... Eu e eu... 
Pisar em cacos pode cortar, talvez precise para que sinta dor... Parece estúpido? 
Sim, mas existem pessoas que só sentem dor sangrando a carne, ou as vezes precisem desta dor para discernir a dor da alma, estranho, mas acredite, existe.
São altas horas, a madrugada se arrasta, e cada minuto me engole, cad
a minuto me traga, cada minuto me bebe um pouco mais, portas e janelas abertas, esperando que algo entre, mas o que?
Quais são os anseios? Quais são?
Se escondem? E por que se escondem?
A verdade é que, acho que estão abertas as janelas e as portas para que saiam...
Saiam os medos, as dores, as dúvidas, os dissabores, as mágoas, saiam os fantasmas, saiam...
É hora de 'libertar'...
Existe palavra mais indescritível que esta em sensações?
Liberdade... Mesmo que a sociedade ainda a prive em alguns sentidos, sim a Liberdade é indescritível, liberdade de expressão, liberdade para ir e vir, liberdade esta que, infelizmente a desumanidade parece querer roubar, violência assusta, cuidado, um oi pode lhe matar, que triste realidade...
Nos resta agradecer, e pedir para que não tenhamos que viver 'livres' atrás das grades de nossa humilde residência...
Temer dói...
Vamos então sonhar... libertar o prisioneiro e dar um Voo rasante, acreditando na liberdade e na Paz...
Não digo liberdade no sentido de se estar só, você também é livre tendo alguém, liberdade é muito mais, muito além...


Val Vince...

Feel' '


Quem não quer sentir o calor do sol, um belo dia ensolarado, numa tarde linda, numa praça, num parque,  apenas sentados numa calçada ou em qualquer lugar trocando conversas tolas, serias, conversas, e aguardando o por do sol... 
Quem não quer sentir a chuva molhando o corpo, ou apenas observar a maravilha que é a natureza e tudo o que se transforma dia a dia, o Universo e tudo o que o cerca...
vento, a brisa, os cheiros, o cheiro de terra molhada, bolinho de chuva no fim da tarde, o jogo de futebol com os amigos, o vídeo-game, enfim, todas as coisa boas que existem a nossa volta, e são inúmeras, e muitas vezes deixamos de observar, de sentir, e mais que isso, nos esquecemos de agradecer.
Isso é uma pena, eu peco muito por isso, mas creio que ainda há muita lenha para queimar, e muito a contemplar...
Quero paz, quero pessoas boas, pessoas verdadeira próximas, quero abraços sinceros, olhares transparentes, sorrisos francos, lágrimas de emoção, e se forem de dor, que sejam verdadeiras, pois até as lágrimas já são de crocodilos, e o que cai é veneno puro...
Do resto, ah do resto, o mundo já esta cheio demais, e infelizmente, como nos é inevitável o contato direto, que apenas não finde, e quem sabe, que haja melhora, tudo é possível quando se quer de verdade, e não se deseja mal a ninguém...
Não sou do tipo que muda para agradar ninguém, e sinceramente nunca serei, odeio rótulos, não me enquadro dentro do que nomeiam normalidade, e até do que nomeiam de anormalidade, apenas me sou... eu sou isso, e pronto... e ponto... o que se conquista por imposição se perde com razão...
Vamos ser feliz... Energias positivas...


Val Vince...

Sensações' ' '


Um turbilhão de sensações... 

Boas sensações... 
O gosto, o cheiro da pele, aquele cheiro que sem pedir licença, impregna... 
Naturalmente, o natural...
Desenhos na alma, cores nos sorrisos, brilhos nos olhos...
Carinho que mima, rima?
Não é preciso rima, é fogo, arde... Pimenta boa...
É dança que faz-se, se faz, em notas únicas, em trocas únicas, em sensações únicas... 
Falta-me o ar... Devolva-o...
O olhar que rasga a roupa, até o secar a boca... 
Saliva, se refaça, refaça-me, é hora de molhar...
Molhe-me os lábios... Prove. 
Transpassa a carne, dilui a matéria, é mais, e alma, é além...
É o arrepio sem mesmo  tocar a pele, o trepidar ao sentir a pele ser tocada... 
Entregue-se... Mais?
Os desejos que se entregam ao ápice, de um? Dois? Dois em um? Um em dois?
Arrepia, espia a reação sem ação, e a ação sem reação, involuntária, desejos... desejos...
Que acabe com um sorriso sacana, cheio de gana, suor, é hora de deitar no peito, de onde é direito o repouso do amor...
Foge o controle, foge o pudor, sem dor, sem dor...
Se é amor, que não doa...
Que não doa, até o Fim... Que não haja fim...
E que a vontade seja apenas uma... Recomeçar.


Val Vince...

Real'


E mais uma vez... 

O incerto, certo se fará... E que se faça... Que seja... Que aconteça... Que floresça... Que crie raiz... Que ultrapasse... Que supere...

Que tenha o reconhecimento, e o valor do que é real... Paz, amor!



Val Vince...

Invade, e fim'


Incrível como o Amor nada, nada, as vezes se sente exausto, encontra obstáculos, e ainda assim percorre, continua dando as suas braçadas, horas mais intensamente, horas mais lentamente, as vezes se afoga, bebe água salgada, acaba se machucando, quase dá se pelo fim, mas ganha impulso, se resgata e segue, chega ao encontro das águas, se fortifica, e continua, continua, continua...
Luta incansavelme

nte pelo encontro, pela metade, pelo completar-se, tem suas câimbras ao longo do percurso, mas ainda assim continua a nadar, submerso em suas emoções, em suas crenças, no infinito de um sentimento único e que alimenta o Universo, um sentimento completo, por Ser, e fazer transformações, almas que se encontram, se completam, e somam ao longo da jornada, por um motivo apenas, por se amarem... Por ser um em dois, dois em um, razão em emoção, emoção em razão, por ser Força, não ser orgulhoso, não ser Egoísta, por ser Alimento, por ser Inexplicável, desmedido, o incansável amor, Amor se Faz, e Vive. Sim ele Vive.
Ele encontra, e acredite, não é preciso ir a procura, o encontro é inevitável, um sem saber, já nada em direção ao outro.
Por ser amor, invade, e fim.


Val Vince...

Até logo'

"- Até logo... Não foi nada... - Meu Deus! - Até logo...
Quando a porta fechou-se, ela ficou ainda um tempo com o sorriso no rosto. 
Alçou os ombros ligeiramente. 
Foi à janela, o olhar cansado e vazio:
-Talvez eu deva ouvir música."


(Clarice Lispector, Perto do Coração Selvagem )

Fé, força, foco...

Ninguém disse que seria fácil...

Realmente não é, em nenhum sentido da vida, mas é isto o que nos movimenta, o que dá emoção a caminhada... Afinal, se movimenta está vivo.
O Desconhecido se mostra convivendo com ele, permitindo, correndo o risco, a maldade em algumas pessoas aparece quando damos poder a elas, e em alguns casos também quando este 'poder' lhes é tirado, não há máscara que se su

stente, por mais que teime em não mostrar sua face, hora ou outra ela aparece, verdade transparece, transcende, purifica, o bem há de o bem atrair, o mal, que se vá, que não chegue, que não se firme, que não cegue uma essência que já gritou milhares de vezes que ainda esta aqui, apesar dos pesares... e põe 'pesares' nisto...
São incontáveis as vezes que me retirei para não causar caos, incontáveis as vezes que parti, colocando sentimentos nos bolsos, mesmo com mágoas no coração, parti deixando livre, para que vivessem as escolhas feitas, ou as consequências das mesmas, são incontáveis as vezes que, por maiores que fossem os motivos, não 'desrespeitei' pessoas e 'sentimentos', por mais inescrupulosos que estes fossem, ou me parecessem... Já me levaram muitas coisas, sem ao menos me dizerem obrigada... É triste quando uma mentira parece esmagar mil verdades, mas isso só se faz se permitirmos... Afinal somos falhos, pecamos as vezes, e pagamos por isto.
Nós temos duas opções com relação a isto em vida, ser a Verdade ou ser a Mentira, e esta escolha cabe unicamente a cada um de nós.
A consciência é a que te dá a paz necessária, se o mundo te der as costas, ela te trará a paz, por ter sido verdadeira consigo mesma.
Não sou de ferro, já engoli lágrimas, já implodi, mas já explodi inúmeras vezes também... O que me leva a isso na maioria das vezes é esta falsidade descabida que parece ter se transformado na 'modinha do momento', 'hipocrisia insana', essa igualdade de pensamentos vazios, as injustiças que chegam a navalhar os que ainda acreditam na fidelidade entre pessoas, entre amigos, amores, entre o compartilhar, o caminhar juntos, o reconstruir, a reciprocidade... Cai, e levantei sozinha, outras vezes com ajuda de amigos...
É difícil, muito difícil, eu consigo assumir quando erro, quando peco, quando falho... Lealdade deve começar por nós mesmos, se não formos fieis a nós, não nos respeitarmos, jamais receberemos isso de volta... Temo algumas coisas sim, mas não por não ter coragem, muito menos por falta de sentimento, eu temo para que não corra o risco de me transformar nesse vazio todo, e na consequência que isso traria, nos estilhaços que deixaria...
Porém, vamos a luta, sentimentos gritam, e se gritam devem ser ouvidos, vamos reconstruir e nunca, jamais destruir o que restou, vamos plantar as sementes, as boas, vamos rega-las, vamos colhe-las, a vida começa, recomeça a cada dia, e a esperança se renova, mesmo que tenhamos os momentos de reclusão e a vontade de jogar tudo para o alto... Isso passa, o sabor das coisas boas, é magnifico... Se compartilhado, melhor ainda... O sentir a brisa, os banhos de chuva, o dormir de conchinha, o sorrir de coisas bobas, correr juntos, as brincadeiras velhas que os amigos felizmente sempre revivem, viver... SobreViVer!
Recomeçar é fundamental, e se realmente quer me dar as mãos, vamos...
Vamos rumo ao infinito... porque ele é o limite...
Estou indo de volta ao começo, um reencontro com o que foi bom, e que será ainda melhor, o fim não foi dado, pois ele não existe enquanto houver respiração...
Buscar o melhor, para que tudo a volta, melhor se faça...
Acender a Luz, enxergar a sujeira, e limpa-la...
Serenidade... paz, e muito amor, é disto que precisamos para construir um futuro melhor...
Não devemos cobrar o que não somos capazes de dar...
Não devemos dar o que não temos...
Não devemos desejar o mal a quem mal se faz, por si só, por seu egoísmo, ou pela lei da Vida...
Seja altruísta...
Fé, força, foco...
Flores, cores e sabores...
Transcender!


Val Vince...

27 setembro, 2012

Certo, Incerto'


E quando sentir medo, fique tranquila, eu segurarei a tua mão.

E caminharemos...


Caminhando pelo caminho considerado 'incerto', chega-se a conclusão que o incerto certo se faz, se observarmos os sinais...
Sinais que te impedem de sentir o impacto de algumas quedas, sinais de que é a hora de parar algo em movimento constante, sinais de que vai chover, melhor levar o guarda chuva, o sol esta quente, passe protetor, o carro esta perdendo o freio, leve o para uma revisão, e por a
i vai... por ai vamos...
Pode parecer loucura, mas pode também fazer muito sentido... Se sentir...
Sinais estes que se fazem claro mesmo em um quarto escuro...
Sinais, sentidos... Sexto, sétimo, oitavo... Ouça, atente-se a eles...
Fácil? Jamais...
E o que é fácil? Roubar doce de criança? Não, não concordo, rouba-se o doce e ouve o choro, se tens bom coração isso te deixará mal, ou seja, não é fácil roubar doce de criança, pelo menos para mim não é...
Relatividade que entorpece... Vida que corre... corre... Escorre...
Quero me atentar aos sinais, mas sem deixar de me dar, de me doar, de viver, de sentir, família, amigos, amores... Sabores...
A madrugada não me assusta, mas estou assutada com as pessoas más na madrugada... Quero Luz...
Vamos ser Feliz?
Vem comigo...


Val Vince...

Friends'

A amizade quando é verdadeira se mantem, isso independente do tempo, da distância, das cobranças, das brigas... Afinal, em que família não há briga?
Quem nunca ficou muito tempo sem ver uma pessoa, de repente se encontraram, e sentiu como se a tivesse visto ontem, mesmo com tanto papo para colocar em dia, a sensação é de que, sempre esteve ali, isso porque estava mesmo, dentro... 
Os velhos e 

bons ficam, os novos e bons também... Não medimos o amor, e a amizade é um amor que não morre também, a não ser que a matemos...
Nenhum sentimento é comprado, a sementinha se põe sozinha, a conquista se faz o amor amizade cresce, se unifica, a cumplicidade edifica, o alimento é a verdade, o perdão, as alegrias se completam, somam, multiplicam, as tristezas se dividem para logo partirem, e assim caminha, mesmo com os caminhos diferentes que cada um tem... e... e... e...
O que é de verdade fica... Perdura!






Val Vince...

Olhar, dentro'


Devemos olhar para dentro de nós, e olhar ao redor com doçura, mesmo que o sabor deste momento seja amargo.
Refletir sobre cada passo e escolha feita até o dia de hoje, o que deve ser 'absorvido', 'absolvido', 'abstraído', e 'extrair' o 'melhor' do 'pior', fazer diferente, cometer novos erros, o novo, de novo, e de novo, não alienar-se a mesmice mascarada que nos cega e nos leva a zona fútil de c
onforto.
É fácil apontar, é fácil dar soluções para problemas alheios, difícil mesmo é resolver nossos próprios problemas, medos e conflitos...
É fácil apontar o traidor e ocultar nossas traições, é fácil apontar supostos lobos maus, e transformar-se em vitima das situações...
Fácil sentirmo-nos apunhalados, machucados, torturados, e esquecer das torturas que fizemos, dos machucados que causamos, das apunhaladas que demos (direta ou indiretamente)... E ai? A consciência sente dor?
Muito fácil acreditar no que rotulamos como verdade, fazendo com que todo o resto se pareça com uma mentira, a maldade pode estar em você, e não no que prega, reflitamos... Se achamos que está ruim, pensemos que, poderia ser bem pior... ou não?
Talvez tenhamos o respeito, e não o reconheçamos, e assim desrespeitamos, egoísmo egoísta o de enxergar o próprio umbigo...
Somos humanos, e usamos esta desculpa para nos livrar do peso do subconsciente, o certo é reconhecer o erro e não mais comete-lo.Reconhecer é preciso para que haja a melhora, a mudança... a paz.
Tudo parece, e se torna fácil aos que são retrógrados a realidade, a respeitar pessoas e sentimentos alheios, cada um tem a suas dores e as suas delicias... E cada peso é único, e cada delicia é pessoal... Ninguém é triste o tempo todo, e ninguém será feliz o tempo todo, a pior decepção é aquela que causamos a nós mesmos, essa sim, dói, corrói, e se deixarmos destrói.
Não conquistamos um sentimento usando artifícios esdrúxulos, mentindo, usando armas ilegais... Enfim, o que é legal nos dias de hoje, não é?... Triste realidade.
Quero mais é que o Universo conspire a favor, que a gangorra que hora estará lá embaixo, hora lá em cima, encontre seu equilíbrio, quero paz aos corações, ao meu coração, quero os beijos doces, o olhar que irradia verdade, e que os medos se façam brisa, me toquem, mas não me machuquem, e me impulsione... Quero não ter ódio, mesmo nos momentos de surtos, os tenho, todos tem, ninguém é só Deus ou só Demônio, se bem que, com relação a segunda opção, eu fico em dúvida.
Quero olhar o entardecer e sentir o cheiro da noite que chega, com todo o seu brilho, acreditando na verdade da natureza, a de que o sol amanhã estará no seu lugar.
Quero o sereno, o lucido, a embriaguez... quero amigos.
Quero a verdade, ainda acredito, sim eu acredito.
Voltar a ver a vida com olhos de criança não é impossível, basta crer, mesmo nas horas incertas de desespero, dúvida e dor... essas que nos tomam assim de repente, sem pedir licença, a morte também não pede licença, apenas leva... que a alma possa neutralizar a maldade encaminhada, não devolvendo-a, mas aniquilando-a, afinal, o que vai volta, pagamos pelo que pagamos, muitas vezes pagamos pelo que pecam, e pagam pelo que pecamos... Sim, podemos infelizmente fazer mal a quem esta perto... Então que o incerto certo se faça, que o bem predomine, que as margaridas encantem, e que sigamos confiantes num amanhã de paz.



Val Vince...

E volta'


Às vezes a vida volta.
(Clarice Lispector)

E volta... e volta.

Aceitar, respeitar?

Esquecer certas coisas realmente é muito difícil, acomodar, guardar, um tanto quanto complicado, para algumas pessoas, 'o aceitar' parece ainda mais temível, mas é o que nos resta muitas vezes, respeitar, e sim, aceitar algumas coisas.
A lei da vida é um entendimento que não nos cabe. 
Vamos que vamos...


Val vince...

Lindo texto da Van... ↓ ↓

É cedo, eu sei. Tenho tanto a fazer que mal me cabe o tempo e o mundo. É cedo. Ainda é preciso acordar esse amor, gozá-lo, adorá-lo, fazer caminhos macios onde confiar os pés e abrir a alma. Ainda falta adormecer tantos medos e forjar coragens em têmperas urgentes. Coisas que me exigem inteira. 
Para o que já é tarde, basta um suspiro, uma esperança, um esquecimento. Mesmo não sendo fácil o esquecimento. Há que pegar um vento de distração, um desvio do apego. Aí sim. Apaga-se o que nos prende ao que já não nos precisa. Para o que é tarde, basta uma memória, um sorriso, uma lágrima, um aceno. Só uma parte de nós precisa existir para o que já é tarde. Uma parte basta. Uma parte pouca. Um relembrar. Um antigo nós. 
Mas para tudo o que ainda é cedo é preciso que estejamos vivos, atentos, todos. É preciso que estejamos entregues, rendidos. presentes. Que estejamos inteiros. 
E é tão cedo ainda. Eu sei. 



(Van Luchiari)

Som, um concerto'


Eu quero um Concerto Magistral...

Um Concerto que cure qualquer sintoma de tristeza, dor, solidão, amargura... que transforme corações partidos em um só coração! 
Inteiro...
Que se torne doce a cada melodia...
E assim conserte, ou melhor, transforme sorrisos apáticos tornando-os vivos e inebriantes... Trepidantes... Alegria constante!
Cheiro de mar, cheiro de terra molhada, cheiro de beijo de namorada, cheiro de margaridas orvalhadas... Cheiros bons.
Não substituímos sentimentos, pessoas, não trocamos sentimentos, além dos bons, claro, podemos trocar de mãe como se troca de roupa? "metáforas, pensemos"...
Não somos peças de nenhum jogo, não somos brinquedos, que quebra e se conserta como qualquer objeto, 'objeto', somos mais, somos carne, coração, alma... 
Vamos juntar o que esta com o prazo de validade vencido, e jogar fora, para que não sobrem resquícios, e assim, almejar o novo, de novo, e de novo... o melhor, o puro e o verdadeiro, o resto... é resto... mas lembre-se, as vezes fazem sim a diferença, assim como alguns detalhes nos passam imperceptíveis, e se fossem melhor observados, mudaria todo um contexto!


Val Vince...

Quero seguir... Feliz'

Posso trazer na bagagem algumas dores, no olhar, 'várias dores', inúmeras decepções, hemorragias internas que cessaram a base de muita fé, trago lembranças que ainda me fazem chorar, e se choro é porque ainda há sentimentos e sensibilidade em mim, mesmo que seja a minha 'Insensível sensibilidade', isso me conforta, sinal de que, apesar dos desprazeres a minha essência permanece aqui, minha alma ca
penga, mas volta a ficar em pé, suas cicatrizes hora se abrem, mas volto a sutura-las, o problema é, parece que há prazer em enfiar o dedo para abri-las novamente, ou talvez seja apenas o que existe gritando para mais uma oportunidade de risco, mesmo este sendo fatal, as vezes o 'fatal' é necessário... em todos os sentidos, afinal, ainda respiro...
Aprendi com o passar do tempo que nunca saberemos como lidar com todas as situações, mas podemos amenizar as consequências de muitas ações... Podemos acordar, e sim, tentarmos ser melhor e fazer o melhor, e que para isso não precisamos derrubar ninguém, pois fazendo este percurso, cairemos sozinhos mais a frente...
Tatuagens na alma se fazem presente, trazendo alivio e dor... Lagrimas de emoções boas, sentimentos bons, e como há sentimentos bons aqui, as vezes ouço o grito que implode louco para que uma explosão se faça, eles também se fazem presente em todo este contexto, em mim, cravados... Únicos, e inenarráveis... Nesta hora é apenas o sentir, o levitar, o bom.
É por isto que este equilíbrio desequilibrado, e este entender desentendido me sustenta, e me dá a força necessária para ainda acreditar, acreditar num olhar sincero, num carinho verdadeiro, nos amigos que se fazem família, no amor... que se faz, e se fará, e se for, haverá o salto, pois o amor sempre vence, e isso se faz por ele, mesmo que não queiramos encontrá-lo, que nos neguemos a enxergá-lo, ele vem, ele encontra... Transcende...
A conta gotas, eu creio sim...
E sei que a Felicidade mora aqui bem perto, assim como se faz presente em inúmeros momentos que já carrego dentro, além... infinito...
Quero margaridas... quero cheiro de terra molhada, quero sorrisos francos... Quero sorrir sem medo... e não, não deixarei medo algum roubar meus sonhos, se for preciso, recomeçarei até o último dia da minha vida, porque recomeçar já é uma vitória.
Quero seguir... Feliz!



Val Vince...

Súbito cansaço'

É isso... 
Hoje estou cansada, cansada das frases; 
Calma mulher...

Tudo vai passar, amanhã é outro dia, acredite...
Beba mais um gole, não foi nada...
Corra riscos, engula sapos...
Vai valer a pena, desta vez é para valer...
Eu entendo, sim eu te entendo...
Nada é por acaso, vá em frente...
Faça diferente, faça melhor...
Seja diferente, seja melhor...
Perdoar é preciso, segure-se, assegure-se...
Escolha o caminho, a mudança esta em você...
Sorria...
Entre todas as outras frases já conhecidas...
Estou cansada de sentimentos e ressentimentos, desrespeitos, despeitos...
Enlouquecida, enlouquecidamente insana... mas ainda com a alma sã... (ainda)
Cansada de mim... Hoje estou assim...
Fantasmas me incomodam, eu em mim, meus... escritas obsoletas, entrelinhas...
Apague a Luz, apenas apague a Luz...
Estou cansada... mas eu sei que é só por hoje... É aquele momento, o de lançar tudo ao vento... lançar... gritar... silenciar... aquele momento... é isto... apenas isto.
Amanhã revigoro-me e volto... Sim eu volto...
Acreditando novamente em tudo, em mim... respirando.
Não há jogo ao se tratar da 'vida', não há estratégias, não há... Há o que chamam de Destino, escolhas, ações e reações... não somos peças... somos mais, muito mais...
Não temo a altura, nem as quedas, mas temo o impacto, como já disse várias vezes...
Por que na altura em que estou, se houver o tal impacto... será fatal.
E neste contexto, só por hoje... Faço-me, desfaço-me, refaço-me, e amanhã a Esperança me retorna, em várias notas e formas, e assim, novamente me agarro a tudo aquilo que me mantem em pé.


Val Vince...

Isso ai'


Enquanto eu tiver chão sob os pés
Enquanto eu puder caminhar
Enquanto eu puder estar viva
Enquanto minha hora não chegar
Talvez eu não vença o tempo todo
E ainda posso até cair
Só quero manter minha alma forte
Erguer a cabeça e seguir... 
(Pitty)

É isso ai.

Entender?


Queria entender o por quê de tanta amargura, num coração que se faz de 'doce', mas não enxerga que hoje colhe apenas o que plantou...

Voltar no tempo não trará respostas, nem consertará nada... Acelerar o tempo também não... Certas coisas são, ou não são, doem ou não doem, outras sempre estarão ali presentes, felizmente ou infelizmente, algumas histórias navalham a carne, outras afagam a alma... 
se tudo se fizesse explicar, existiria perfeição.
O presente fará o futuro, ou talvez nem haja futuro, sendo assim que ajamos com respeito, pois isto sim é fundamental...
Respeitar Sentimentos... Respeitar pessoas... 
Chega uma hora em que devemos encarar os medos de frente, independente do tamanho que ele tenha, ou do tamanho que o damos... 
RESPEITAR.


Val Vince...

Ah se vai '


Saudade de um 'momento' que nunca existiu... 
Mas vai, vai existir...
Ah... se vai!


Pessoas encantadoras são percebidas por olhos de quem enxergam a alma... e mais que isso, não precisam de grandes jóias, ou muitos artifícios para serem notadas, no fundo nem se preocupam com isto... E esse encantamento se faz por ser...


Val Vince...

Relatividade '

Nada é por acaso...
As vezes um sinal pode ser uma gota d'água que toca seu corpo, que vem sabe se lá de onde, sem que haja chuva, ou qualquer respingo próximo... 
Tantas coisas acontecem, e tem um sentido camuflado... Sim...
Coisas de 'pele', são de pele, coisas de 'alma', são inexplicáveis... e fim.
Basta interpretar... 


Caminhar, segurar, que seja nas mãos da fé, do Universo, do invisível, do infinito... 
Os olhos, bem, eu gosto deles fechados, acredito no sentir, e muitas vezes, mesmo com eles bem abertos nos negamos a ver muitas coisas, gosto deles abertos também, afinal há muito a ser visto, sentido, apreciado... 

Quero é não deixar de acreditar que, o Impossível, possível se faz...





Val Vince...

Fácil '

Também gosto de Cecília Meireles...

É difícil fazer alguém feliz, assim como é fácil fazer triste. 

É difícil dizer eu te amo, assim como é fácil não dizer nada.
É difícil valorizar um amor, assim como é fácil perdê-lo para sempre.
É difícil agradecer pelo dia de hoje, assim como é fácil viver mais um dia. 
É difícil enxergar o que a vida traz de bom, assim como é fácil fechar os olhos e atravessar a rua. 
É difícil se convencer de que se é feliz, assim como é fácil achar que sempre falta algo. 
É difícil fazer alguém sorrir, assim como é fácil fazer chorar. 
É difícil colocar-se no lugar de alguém, assim como é fácil olhar para o próprio umbigo. 
Se você errou, peça desculpas... 
É difícil pedir perdão? Mas quem disse que é fácil ser perdoado? 
Se alguém errou com você, perdoa-o... 
É difícil perdoar? Mas quem disse que é fácil se arrepender? 
Se você sente algo, diga... 
É difícil se abrir? Mas quem disse que é fácil encontrar 
alguém que queira escutar? 
Se alguém reclama de você, ouça... 
É difícil ouvir certas coisas? Mas quem disse que é fácil ouvir você?
Se alguém te ama, ame-o...
É difícil entregar-se? Mas quem disse que é fácil ser feliz? 
Nem tudo é fácil na vida...Mas, com certeza, nada é impossível 
Precisamos acreditar, ter fé e lutar 
para que não apenas sonhemos, Mas também tornemos todos esses desejos, 
realidade!!!

(Cecília Meireles)

Caiu, levantou' '



Equilibrar, equilibrando, desequilibrou, desequilibrando, caiu, levantou, equilibrou, equilíbrio, equilibrando... é assim...
Vamos que vamos...


Val Vince...

Sem máscaras '


Quero sentir-me alegre e, em paz, sem a necessidade de uma segunda pele para que isto se faça, sem máscaras, quero sentir o frio e conseguir me aquecer sozinha, quero o calor para banhar-me em águas puras e cristalinas...

Quero sentir que não há solidão quando se esta na melhor companhia, eu e eu mesma!
Sou eu meu instrumento, minha família meu alicerce, meus amigos meu alimento, minha fé o meu su
stento... e o amor, se um dia vier, e existir, um complemento... 
Sou eu, unicamente eu que permito o meu fracasso, que alcanço minhas vitórias, que faço e desfaço... e que sinto o encravar de cada punhal pela minha própria mão... Sou eu que curo as minhas feridas, sou eu que corro para o meu colo, e para o colo dos meus amigos, a família que a vida me permitiu escolher...
O caminhar pode ser árduo, o confiar cada dia mais limitado, a verdade escassa e devastada quase engolida por mentiras que vão, mas voltam em forma de clarão...
Sentimo-nos quase que engolidos pelo chão em algumas situações, mas não há nada que o tempo que NÃO CONSERTA, não cura, AJEITE, SIM ELE AJEITA, coloca as coisas no lugar, faz com a lei do retorno se faça, mostra o rosto de cada um como é, sem a maquiagem definitiva que acreditam usar espontaneamente, mentir para que? A verdade sempre vai aparecer...
Vamos sobreViVer, sem deixar de Viver o dia a dia... a cada alegria, e desistir apenas quando o respirar não mais for possível... Cantemos então, dancemos, nos embriaguemos com o ritmo chamado vida... Ser é tão importante quanto existir.
Eu apesar dos pesares, ainda acredito.



Val Vince...